Grandes livrarias fizeram algo sensacional ao criar espaços que nunca encontramos, via de regra, numa biblioteca no Brasil: acervos atualizados e um espaço decente para folhear um livro. Somado a isso, um bom café, genial! Só por isso devemos torcer para que esse negócio prospere. Entretanto, como trabalhar nesse ramo não é fácil em um país que não tem cultura de ler, elas acabam reproduzindo algumas máculas do nosso mercado editoral.

Já encontrei esse conselho em alguns "manuais de escrita" ou "conselhos" de escritores consagrados. Embora pareça uma dica muito usada e pouco útil diante dos "segredos" que esperamos descobrir, é, na verdade, a informação mais útil para a pergunta que dá título a este artigo. Jamais haverá um escritor onde não há um ávido leitor!

"Posso ser direto? Se você não tem tempo de ler, não tem tempo (nem ferramentas) para escrever. Simples assim."

Stephen King - Sobre a escrita 

Os autores citados abaixo não só sobreviveram ao tempo e continuam sendo publicados, característica das obras ditas clássicas, mas, sobretudo, ajudaram a celebrizar o romance policial, criaram personagens tão fortes que muitos creem que existiram de fato, subverteram a maneira de escrever na época e serviram de inspiração para os autores posteriores.

Esta pequena relação está muito longe de esgotar todos os nossos favoritos, mas é um bom guia para aqueles que estão iniciando na literatura policial. São autores que são referência na ficção policial e que serviram de inspiração para a nova geração de romancistas, ajudando a manter a popularidade desse gênero literário.

Excluímos os autores americanos por fazerem parte do maior mercado editorial e ser mais fácil encontra-los.

Últimas Publicações

Novidades