Trata-se da estreia do publicitário Adilson Xavier no Romance Policial. Seu protagonista é o jovem delegado Hermano, que trabalha numa divisão de homicídios, no Rio de Janeiro.

longe de ser um policial típico. Filosofa sobre a verdade, gosta de poesia. Inexperiente e orgulhoso por jamais ter usado sua arma, ele recebe a missão de investigar o assassinato de um deputado federal acusado de desviar verbas destinadas às vítimas de uma grande inundação. A arma do crime foi um maçarico, usado com impressionantes requintes de crueldade. Outros políticos são mortos com o mesmo ritual torturante. Um pastor evangélico, ex-presidiário, surge como suspeito. A população batiza os assassinos como ‘Vingadores do Povo’. Pressão total. Ódio e desinformação esquentam os ânimos. A vida de Hermano se transforma num inferno.

Uma garçonete de um famoso restaurante de São Paulo passa as noites seduzindo clientes e roubando a casa deles. Em sua mira está uma sucessão infinita de Netos e Betos e Camilas, que depois de um encontro casual têm suas roupas e joias furtadas pela exímia ladra, que as revende em um brechó de luxo. A rotina vai bem até que um estranho a procura para seduzir e roubar um professor universitário, dono de um raro exemplar de O Guarani, de José de Alencar. A partir daí, os dois vigaristas dão início a um jogo de gato e rato que poderá ter consequências desastrosas.”

Cuidado com alguns livros que estão dispostos no Kindle Unlimited, pois são verdadeiras armadilhas. Alguns chegam a ser fraudes explícitas:

"O Sistema Fácil de 7 Passos Para Escrever Seu Primeiro Livro em 27 Dias: O Guia Completo do Iniciante Para se Tornar um Autor Conhecido em Semanas!"

Ou

"Como escrever um livro em 5 dias"

A insegurança ou dúvida natural que incide sobre o escritor no momento de escrever as primeiras linhas, ou mesmo a falácia da inspiração, podem levar à síndrome da página em branco. Também há distrações correndo por fora: Internet, jornais, livros, cinema, vida social e familiar. Mas, sem dúvida, o maior desafio para o escritor brasileiro é escrever nas horas em que não está trabalhando.

Sim, escrever no Brasil só pode ser considerado um trabalho oficial para uns poucos agraciados. A maioria terá que ter um trabalho oficial para sobreviver e, só nas horas vagas, arrumar tempo para escrever. Então, para superar todos os obstáculos enunciados é preciso muita, mas muita disciplina mesmo.

Últimas Publicações

Novidades