Alguns amigos têm me perguntado se realmente vale a pena ter um e-reader (aparelho leitor de livro digital). A resposta: definitivamente, sim!

O leitor de e-books permite que você compre livros mais baratos; carregue, por todos os lados, uma biblioteca na palma da mão; não é tão pesado quanto alguns livros; é muito prático (é só abrir e já está na página que você havia parado; permite notas e marcações; ao tocar numa palavra ele te remete ao dicionário). Portanto, é excelente para ler na cama, fila, transporte, consultório, viagens...

O único problema do e-reader é que ele não tem a capa bonita de um livro, não tem o cheiro de um livro, não é um livro! Mas você não está proibido de comprar livros físicos e saciar esse fetiche, necessidade ou prazer. Pense no e-reader como uma ferramenta complementar para os amantes da leitura.

Qual a diferença entre o e-reader e o tablet? O tablet é um computador portátil, como seu smartphone; o e-reader, mesmo com internet, não tem a funcionalidade de um tablet, pois seu foco é a leitura de livros digitais. Por isso que o e-reader é mais leve, barato e não irrita tanto aos olhos como a leitura em um tablet.

Agora vem a pergunta mais difícil: Lev, Kobo ou Kindle? E qual modelo, de cada um deles?

Começaremos pela última pergunta: o modelo. Você vai precisar, basicamente, de duas funcionalidades: iluminação própria e wifi (funções como dicionário, tradutor e compra de livros, enquanto está lendo um livro, são muito usadas). Todo o resto é supérfluo, principalmente no Brasil, onde os e-readers são caros.

Quanto ao armazenamento, acho uma questão menor, pois mesmo o Kindle, único que não aceita cartão de memória para expandir a quantidade de livros baixados, tem capacidade para cerca de dois mil livros.

Os modelos mais caros oferecem, por mais do que o dobro do preço de um modelo intermediário, aparelhos à prova d’água. Assim como até hoje você se contentou em não entrar numa piscina com um livro, você também poderá viver sem entrar com o e-reader.

Com as informações acima, no caso do Kindle, você já reduz as opções existentes no mercado de cinco para uma: KINDLE PAPERWHITE com wifi; para uma no Kobo: KOBO GLO HD; e, para uma no Lev: LEV NEO. Os preços (na data pesquisada) estão iguais no caso do Kindle e Kobo (399,00) e, um pouquinho mais caro, no Lev Neo (470,00).

Bom, até agora já reduzimos dez opções para apenas um modelo de cada marca. Mas qual das três marcas? Os três aparelhos são muito similares e cada um tem uma ou outra pequena vantagem sobre os concorrentes. Mas vamos tentar facilitar ainda mais: é um acadêmico ou profissional que pretende baixar no e-reader muito texto ou livro em PDF, então fica com o Lev; baixa muitos livros de diversos sites e formatos, Kobo; compra muita literatura estrangeira e busca o maior acervo, Kindle.

Eu optei pelo Kindle por causa do meu interesse por obras em língua estrangeira e achar que a Amazon teria uma maior oferta. Mas creio que quem optar por qualquer das outras duas marcas estará bem servido.

Mais informações técnicas: Techtudo