Fausto, delegado da Homicídios, recebeu como punição, após uma controvertida entrevista, a transferência para Fernando de Noronha. Ele só não contava que sua vida sofreria mudanças tão profundas. Muito menos, que lidaria com um brutal homicídio ocorrido na Ilha, com características muito parecidas ao crime que ele investigava em Recife e foi a causa de sua punição.

Obrigado a conviver com uma equipe não muito competente e com as dificuldades e monotonia peculiares a uma vida insular, Fausto descobrirá que “Paraíso” e “Inferno” podem confundir-se facilmente e terá que enfrentar as adversidades do “mar de dentro” e do “mar de fora”, sem garantias de sobrevivência.

O livro foi selecionado entre obras de todo o Brasil como finalista na categoria Romance Policial.

O livro está à venda em formato físico na Amazon.

Leia trecho do livro em PDF.

Marcelo Barros, Doutor pela Universidade de Salamanca, foi Delegado de Polícia em Fernando de Noronha (2011-2018). Já publicou: Polícia e tortura no Brasil: conhecendo a caixa das maçãs podres – 2015 – Appris; “Dimensiones histórico-sociológicas de la tortura en Brasil -  Ediciones Universidad de Salamanca – 2013; Polícia, Sociedade e Democracia - (Orgs.) – 2007 – Lumen Juris.