“Um ex-garoto de programa brasileiro, agora um traficante muito requisitado em Nova York, leva uma vida sem emoções. Ele se sente estagnado, frustrado, e anseia, pela primeira vez em muitos anos, por uma mudança que o tira da mesmice.

Certa noite ao entrar em casa, percebe a luz vermelha da secretária eletrônica piscando: seis recados esperando por ele. Um mau pressentimento toma conta do rapaz. Ele sabe que tantos recados só podem significar que alguém muito ansioso está atrás dele...”

Comecei a leitura bastante entusiasmado! Até a página vinte o personagem foi crescendo rapidamente e a trama foi ficando muito interessante. Comecei a vibrar com o livro e achei que iria devora-lo sem parar. Mas, depois...

Começa um ritmo frenético que parece Missão Impossível ou Jason Bourne. Infelizmente, essa velocidade toda funciona melhor no cinema! Na segunda parte o protagonista volta para a casa dos pais, começa a murchar e aí vem um marasmo de dar sono ou raiva.

A trama e seu personagem não parecerem críveis. E nem me refiro ao fato de um experiente traficante e ex-garoto de programa estuprar uma mulher achando que ela o havia contratado para isso. Também havia uma figura de um super ministro que não encaixou bem.

O desfecho tampouco empolgou. Confesso que pensei em desistir da leitura, mas precisava ir até o fim para fazer a resenha. Talvez tenha lido em um dia ruim e posso estar sendo injusto... Enfim, recomendo este livro para os fãs do autor. 

O autor dispensa comentários, pois já se celebrizou desde a publicação de "Feliz ano velho", onde mostrou seu talento, não apenas na literatura, como no teatro, televisão e cinema. Esta é sua primeira ficção policial.