"Uma série de mortes até então desconectadas, começa a assombrar os moradores de São Paulo. Em todas elas o assassino deixa sua marca: a unha do dedinho do pé pintada de rosa. O delegado Meireles e sua equipe de investigadores se empenham em desvendar o mistério por trás dessas mortes horrendas e descobrem que lidam  com um serial killer copycat e que a resposta à pergunta 'quem será a próxima vítima?' pode estar no Museu do Crime!"

Tito Prates é um verdadeiro apaixonado pelo estilo dos detetives ingleses. Isso fica bastante claro quando conhecemos sua biografia, seus livros e, mais ainda, quando o conhecemos. Tanta paixão não poderia produzir um resultado diferente, que não fosse um excelente livro policial.

Não sei se ele vai concordar ou não, mas, mesmo ele sendo um biógrafo e grande seguidor de Agatha Christie,  vi uma forte influência dos pioneiros do romance policial brasileiro: Medeiros & Albuquerque; Lopes Coelho; Afrânio Peixoto; Viriato Correia.

Achei bastante criativa a inserção das "notícias de jornais", competente seu conhecimento sobre "causas mortis" (pessoas sensíveis a sangue precisam pensar duas vezes em pular alguma parte), e, gostei muito da maneira como Tito escreve.

A Editora Monomito também fez um excelente trabalho! Adorei a diagramação, capa...

Esclareço que esse não é o meu estilo de romance policial, prefiro o estilo americano ou policial noir. Só comprei o livro porque conheci o simpaticíssimo autor na Porto Alegre Noir. Depois fiquei com medo de não gostar do livro e não poder incluir no meu blog (nem falar mal). Ledo engano! Fui até o final das 399 páginas com satisfação.

Recomendo!!!

Tito Prates - autor de romances policiais e de terror. É embaixador Brasileiro de Agatha Christie, tendo escrito a primeira biografia da autora originalmente  em língua portuguesa.